APRESENTAÇÃO

Este site resgata uma série de ilustrações de Jorge Arbach produzidas para diversos veículos de imprensa no país nas últimas décadas. Sem uma preocupação cronológica, a coletânea abarca múltiplas temáticas a partir de 1979. Do ponto de vista deste conjunto é possível identificar as transformações nos cenários sociais ou marcas que ficaram em cada trecho do percurso.

 

A seleção privilegia a qualidade gráfica das imagens e permite visualizá-las acompanhadas das páginas onde foram publicadas, ressaltando a capacidade e as particularidades que o formato jornalístico permite.

 

Um dos principais aspectos que se pretende atingir é a valorização da composição visual na transmissão de comentários jornalísticos. Como veículo possível de transportar ideias, as ilustrações editoriais ajudam a expandir as fronteiras do relato, ampliando o campo da interpretação. Para tanto, é irrelevante o domínio das técnicas do desenho. O essencial é conduzir a narrativa com perspicácia, dirigindo o discurso aonde a palavra não consegue alcançar.

 

O presente trabalho reconhece o espaço da ilustração que lhe é de direito, ou seja, constituir-se como um dos gêneros jornalísticos, uma vez que a ilustração na página do jornal tem a capacidade de estar no mesmo nível de comunicação que um texto ou uma foto.

Ao utilizar linguagem própria, a ilustração apresenta-se como um discurso não verbal, vinculando referências e ativando conteúdos reflexivos. Por se revestirem de conceitos próprios, as ilustrações editoriais permitem que o leitor encontre novas e variadas leituras por recorrer de seu próprio imaginário.

 

Dando estrutura à coleção dos trabalhos aqui apresentados, também estará disponibilizada integralmente a tese de doutorado de Jorge Arbach, apresentada em 2007 na Escola de Comunicações e Artes da USP. A intenção de inserir essa pesquisa é marcar os conceitos que nortearam a produção gráfica do artista ao longo dos anos e reiterar a relevância e o papel da ilustração editorial no espaço da comunicação visual. Nesta tese, Arbach reivindica dos modelos acadêmicos de classificação dos gêneros jornalísticos o reconhecimento da participação deste formato dentro do discurso jornalístico.

 

Para aqueles que desejarem conhecer um pouco mais do artista e da sua produção, acesse www.jorgearbach.com.br/album.

 

É necessário agradecer e frisar que o material aqui compartilhado só foi possível através do aporte de recursos oriundos da Lei Municipal de Incentivo à Cultura de Juiz de Fora.

 

Desejamos a todos uma boa navegação!